3 de janeiro de 2011

Bariloche

Bariloche é praticamente uma viagem obrigatória pra quem vai pra Argentina.
O lugar é simplesmente maravilhoso, encantador, explendido... e olha que eu fui no verão, que é baixa estação lá.
Já tinham me falado que a Argentina é a Europa da América do Sul e eu tive que concordar, as casas, o centro, as ruas.. tudo em Bariloche me lembra um pouco a Europa.

Já comecei a me surpreender antes mesmo de estar em terra firme, de dentro do avião avistei a neve no pico das montanhas, o que me pegou de surpresa pois eu já estava preparada pra não encontrar neve já que eu estava indo no verão.



Bom.. como chegar la?

Dizem que a viagem de onibus de Buenos Aires a Bariloche é muito bonita, bemmmm longa, mas com belas paisagens.. mass.. como eu tinha pouco tempo preferi ir de avião mesmo, pela Aerolineas. 
Pouco tempo de voo e bem tranquilo; a parte ruim é que o aeroporto (bem pequeno) não fica na cidade, pelo que eu entendi, o mesmo aeroporto serve a mais de uma cidade, então.. ele fica no meio do caminho pra todas elas. Como eu fui por agência de turismo eu tinha um transfer, ainda bem, pq o aeroporto fica a uma boa distância da cidade, de taxi ficaria um pouco caro.
O caminho do aeroporto a Bariloche é bem bonito, uma estrada reta, com pinheiros de um lado e  de outro, me senti num daqueles filmes de natal.. muito legal. 
O carinha do transfer foi o caminho todo contando as coisas da cidade, os costumes, os melhores lugares pra ir, e tantas outras coisas... e ficou muito impressionado quando viu que eu já sabia de quase tudo que ele tava falando, isso demonstra que os turistas não costumam pesquisar sobre seu destino =/




Fiquei hospedada no hotel Dazzler, que por sinal, era muito bom, super limpo, pessoal super atencioso, muito confortável e bem localizado.
Como eu fui no verão, fazia muito calor.. e a primeira coisa que fiz foi procurar uma sorveteria.. e .. foi um dilema pra eu conseguir falar pra atendente que eu queria "duas bolas", simplesmente eles não servem sorvete em bolas como aqui no Brasil, eles pegam o sorvete com uma espátula e dão uma "puxadinha" pra ficarem pontudos, então temos que pedir por sabores, ao invés de "duas bolas" temos que dizer "dois sabores".
Do lado da sorveteria que eu fui (que não me lembro o nome, mas era muito boaa..) tinh um banco HSBC.. e olha só o banco...





A moça da agência de viagem que estava nos recebendo foi até o hotel pra nos dizer dos passeios que faríamos, o primeiro seria o Circuito Chico e Cerro Catedral, sairíamos bem cedo do hotel pra dar tempo de fazer tudo com calma, ela recomendou que fossemos de casaco e com sapato fechado, pois apesar de janeiro ser verão e amanhecer muito cedo e escurecer muito tarde (por volta das 21:30), pela manhã e pela noite fazia muito frio na cidade, então corremos pra Calle Mitre (principal rua de compras) pra encontrar algum sapato fechado, pois não havia levado nenhum.

No dia seguinte fomos pro Circuito Chico. "Meu Deus!" foi essa a minha fala por alguns min, repetidamente... 
Era tudo tão lindo e tão impressionante...
A cor da água, as montanhas, a neve laaaaa em cima, andar de teleférico, ver tudo aquilo lá do alto. 
Que paisagem! Que paisagem!
Quanta beleza, quanta calma, quanta paz!
A minha única desilusão foi quando passei as fotos pro computador e vi que a câmera não captara nem metade daquela beleza que eu havia presenciado. As cores que lá vi, não saem em fotos jamais.



                                                            Teleférico Circuito Chico

Lá em cima tem uma lanchonete com as "paredes" de vidro, eu não consumi nada além de uma água, mas foi muito legal sentar numa mesa e ficar olhando toda aquela paisagem.

Do Circuito Chico, fomos pro Cerro Catedral, com direito a algumas paradas, uma delas foi numa lojinha de produtos típicos da região, na verdade... uma lojinhas com vários produtos feitos de Rosa Mosqueta, óleo, chá, sabonete, creme e várias outras coisas..
Paramos num lugar que dava pra tirar fotos com os São Bernardos, eles são muitoooooo lindos, é impossível passar por eles e não ficar um tempinho admirando esses bixinhos. Como já é costume na região, seus donos tiram fotos dos turistas com os cachorros, masss cobram um precinho bem salgado, se eu bem me lembro, uma foto custava 10 dólares, e se vc tirasse com a sua própria câmera, saia por 5 dólares, hahaha.. tá achando o que?? todo mundo arranja um jeito de ganhar dinheiro.. hahaha




Chegando ao destino: Cerro Catedral

Realmente é um lugar que merece uma visita mesmo sem neve, sem ter como esquiar... 
Lá embaixo tem alguns restaurantes, lojas de roupas de inverno, de lembrancinhas...
Pra subir até o topo é necessário um bondinho e um teleférico; no meio do caminho tem um restaurante. 
Lá em cima de tudo.. tive meu primeiro contato com a neve.. clarooo que tinha pouquissima neve, mas já valeu, deu pra brincar, pegar, escorregar.
EeEeee... brasileiro é bixo besta neh?! hehehe


Esse passeio acaba com uma visita a alguma fábrica de chocolate; já vos digo que se tiverem algo melhor pra fazer, façam! Esse passeio a fábrica não acrescenta em nada.. na verdade vc vê pelo vidro, umas moças cortando alguns tabletes de chocolate e depois eles te encaminham pra loja pra que vc compre bem muitoooo... tá, tá.. são bem gostososs.. mas na cidade existe uma loja de chocolate por habitante, então não precisa perder tempo nessa fábrica.
Meu maior arrependimento em Bariloche, foi ter deixado de ir a Confeitaria Giratória, no Cerro Otto pra terminar o passeio na fábrica.

De volta a cidade, nada de ir pro hotel, a cidade é muito bonitinha e ótima de ser conhecida a pé. 
Como só anoitece lá pelas 21:30, tem muito tempo pra fazer muita coisa.. e depois que anoitece é só procurar um bom restaurante pra ir jantar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário