11 de dezembro de 2014

PUNTA CANA - REPÚBLICA DOMINICANA

Já imaginou estar em casa num sábado de manhã e receber um convite para viajar pra praia com tudo pago? Melhor ainda, pro caribe num resort all inclusive??
Sonho de 10 entre 10 pessoas nesse mundo né?!

Isso aconteceu comigo!!!

**Pausa dramática para os suspiros**

Pois é, isso mesmo, recebi um convite desse e quase pireiiiiiii, foram duas semanas de muita ansiedade até o dia do embarque.
O destino era Punta Cana, na República Dominicana, que aliás está cada vez mais famosa entre os brasileiros e eu vim contar um pouquinho deste lugar para vocês!








  • Melhor época para visitar a ilha

Eu separo o caribe em 3 épocas do ano: A alta temporada, que vai de dezembro a abril, a baixa temporada, no mês de maio e a época de furacões, de junho a novembro.

Na alta temporada, os resorts ficam cheios e com várias atividades e shows internos, os passeios tem que ser reservados com uma certa antecedência e tudo fica mais caro.

Na baixa temporada, os resorts estão bem mais vazios e fica mais fácil conseguir um upgrade de quarto, não tem tanta criança correndo de um lado pro outro nas piscinas, as atividades e shows que acontecem dentro do resort são reduzidos, você consegue reservar um passeio em cima da hora e fica tudo mais barato.

Na época de furacões, as coisas ficam ainda mais baratas mas você corre o risco de ter seu passeio estragado por conta de um furacão que resolveu passar ali bem nas suas férias, mas também pode não acontecer nada, é uma questão de sorte!

A escolha do mês da viagem depende do perfil da pessoa, se você gosta de agito e dinheiro não é problema, vá na alta temporada; mas se dinheiro é um limitador e você não quer correr o risco de "ser pega" por um furacão, é melhor ir em maio.

Eu fui em março deste ano e o resort estava bem cheio, é bom ver gente, mas é ruim chegar na piscina ou na praia e não encontrar nenhuma cadeira livre pra tomar um solzinho.

  • Visto
Não é necessário tirar nenhum visto antecipadamente, mas quando você chega ao aeroporto, você passa por uma fila da imigração para tirar uma autorização para entrar no país, esta autorização custa 10 dólares e é valida por 15 dias. Li em alguns lugares que é possível comprar essa autorização na embaixada da República Dominicana aqui no Brasil, mas é mais cara, por volta de 30 reais.
Se posso dar uma dica é: vá com o dinheiro trocado e preencha todos os formulários da imigração ainda no avião, para agilizar o processo na imigração.

  • Vacinas
Não é necessário nenhum tipo de vacina, mas acho interessante manter todas as vacinas em dia, pois nunca sabemos quando e onde um surto de alguma doença pode acontecer. Lembrando que se for tomar alguma vacina, tem que ser pelo menos 10 dias antes do embarque.


  • Idioma
O idioma oficial da ilha é o espanhol, mas também é o menos falado pelas pessoas da área de turismo,  a maioria dos funcionários dos resorts e dos guias turísticos falam espanhol, inglês, francês e alemão.


  • Moeda 
A moeda local é o Peso Dominicano, mas fiquei lá 10 dias e tive pouquíssimo contato com esta moeda. O dólar e o euro são amplamente aceitos, principalmente o dólar.
Se você optar por fazer como a maioria e levar somente o dólar, tome muito cuidado com a conversão usada nos lugares, se você tem smartphone, baixe algum aplicativo conversor de moedas e fique sempre atualizado com os valores, pergunte nos locais qual a conversão que eles usam e fique muito ligado no troco que irá receber.
Em alguns lugares não é possível pagar nada com moedas de dólar, somente com notas, então você acaba sempre dando uma nota maior do que o valor da mercadoria, e o troco quase sempre será na moeda local, ou seja, se você não ficar atento com a conversão, eles podem te dar o troco errado.


  • Gorjetas
A minha experiência e algumas conversas com outros brasileiros que encontrei por lá me diz o seguinte: os dominicanos não curtem muito os brasileiros! E sabem por que? Simplesmente porque não temos o costume de dar gorjetas!
Isso mesmo, é clara e nítida a diferença de tratamento que os funcionários dos resorts e os guias dos passeios dão aos que dão gorjeta e aos que não dão.
No dia que cheguei no resort, dei 2 dólares pro carregador de malas, o cara saiu do quarto me chingando e bateu a porta do meu quarto com força, a partir deste momento, todos os outros ficaram sem ver a cor da minha gorjeta, simplesmente porque achei um desaforo.


Estes são alguns pontos que é sempre bom saber antes de viajar para não ser pega desprevenida. 
Depois falarei sobre o resort, passeios e compras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário